Dicas de Gestão

Como escolher o regime tributário mais adequado em relação aos impostos?

regime-tributario


O pagamento de impostos é certamente uma das principais preocupações de todo gestor de empresa, certo? Além disso, porém, todo empreendedor também deseja maximizar o lucro do seu negócio.

Sendo assim, faz todo o sentido do mundo que um empresário busque formas justas de se gastar menos com a tributação, e a melhor forma de fazer isso é escolher o regime tributário mais adequado.

Mas você sabe o que são os regimes tributários? Sabe como cada um deles funciona e o que pode definir qual é o mais vantajoso para a sua empresa? Neste artigo vamos explicar essas e outras questões sobre os modelos de enquadramento fiscal existentes no Brasil.

Para descobrir mais, siga com a gente e aprenda como escolher um regime tributário para a sua empresa! Tenha uma boa leitura!

O que são os regimes tributários?

Os regimes tributários são os três modelos de tributação que definem como os impostos vão incidir sobre a sua empresa. 

Vários fatores podem ser definitivos, como a sua atividade econômica, o faturamento bruto obtido no período de tempo a ser considerado (mês, trimestre ou ano) ou o lucro gerado pelo seu negócio.

Existem três enquadramentos fiscais no Brasil, que são o Simples Nacional, o Lucro Presumido e o Lucro Real. Veja mais sobre cada um deles:

Simples Nacional

O Simples Nacional é um regime tributário especial, criado em 2006, com objetivo de agilizar e otimizar o pagamento de impostos para microempresas e empresas de pequeno porte.

Restrito a esse porte de empreendimento, pessoas jurídicas cujo faturamento anual excede R$ 4,8 milhões não podem aderir a esse enquadramento fiscal.

Além disso, o Simples possui um diferencial importante, que é o pagamento simplificado de todos os impostos por meio de uma guia simplificada, que é o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). Este regime tributário também possui uma declaração anual específica, que é o Defis.

Lucro Presumido

O Lucro Presumido é um modelo de tributação que estima o lucro obtido por uma empresa a partir de uma tabela. Esse valor presumido de lucro é o que dá o nome ao regime tributário, e ele só é permitido a empresas cujo faturamento anual não ultrapasse R$ 78 milhões.

O Lucro Presumido é utilizado para calcular as alíquotas do IRPJ e da CSLL, enquanto PIS e Cofins são cobrados sobre o faturamento. Seu uso é relativamente comum, já que pode atrair incentivos fiscais locais ou nacionais, além de ser relativamente simplificado quando comparado com a próxima alternativa

Lucro Real

O Lucro Real é o modelo de tributação menos adotado, ainda que seja obrigatório para organizações cuja receita bruta seja superior a R$ 78 milhões por ano e para instituições financeiras, como bancos e cooperativas de crédito.

Neste regime tributário, o valor real de lucro, que deve ser obtido por meio de uma série de cálculos contábeis, é utilizado para definir as alíquotas de IRPJ e CSLL. O Lucro Real pode ser vantajoso para empresas que estejam operando em uma margem de lucro mais apertada.

Leia mais: Benefícios fiscais: Como eles devem ser levados em conta no planejamento tributário.

Como escolher o regime tributário mais adequado para a minha empresa?

O sistema de tributação brasileiro traz uma das cargas mais pesadas do mundo, tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas. Isso faz com que a definição de um enquadramento fiscal seja um processo de extrema importância para o controle financeiro de qualquer negócio.

Escolher um regime tributário não é algo que deve ser feito de forma leviana, já que pode ser chave para a sustentabilidade financeira de uma empresa. 

Sendo assim, é preciso levantar números de faturamento, calcular despesas fixas e variáveis e analisar todos os seus procedimentos internos para verificar os fatos geradores de cada imposto.

Além dos tributos de natureza federal que citamos ao longo do texto, uma empresa também pode ser taxada por meios diferentes, seja em esfera local, ou devido à atividade econômica exercida.

Impostos como o ICMS, ISS, IPI, II e diversos outros podem incidir sobre o seu empreendimento, dependendo de qual o seu setor de mercado e quais operações sua equipe executa. Cabe a um gestor saber reduzir o impacto deles sobre suas finanças.

Leia também: Saiba a diferença entre faturamento e lucro.

Conte com apoio especializado para escolher o regime tributário mais adequado!

Se você é empresário e está com dúvidas sobre a definição de um modelo de enquadramento fiscal para o seu negócio, existe um jeito mais seguro e mais prático de lidar com isso, que é contar com o apoio de um profissional.

O cálculo tributário é uma atribuição de extrema dificuldade, e qualquer erro pode acarretar no pagamento desnecessário de impostos, ou até em erros na quitação que podem gerar problemas com órgãos públicos!

Sendo assim, o melhor jeito de escolher um regime tributário é contar com o apoio de uma contabilidade especializada! 

Garanta que cada processo está sendo feito de forma correta, evite problemas com o Fisco e assegure que sua empresa não está gastando mais do que o necessário com o pagamento de impostos!

Então venha conhecer os serviços contábeis do Grupo Rhodes! Somos uma empresa de contabilidade localizada em Brasília, e trabalhamos sempre com foco em assegurar que todo o aspecto burocrático da gestão dos negócios de nossos clientes sejam tratados com o máximo de seriedade e segurança.

Deixe as obrigações fiscais e o setor financeiro do seu empreendimento nas mãos de quem entende do assunto e foque nos aspectos mais importantes do seu cotidiano de trabalho. Entre em contato com um de nossos consultores e saiba como podemos ajudar.

Gostou do conteúdo? Aproveite para conferir outros artigos no nosso blog e seguir as nossas redes sociais! Continue lendo: Incentivos fiscais: como consegui-los para reduzir as despesas tributárias da sua empresa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *